segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

INTRODUÇÃO AO EVANGELHO DE MARCOS - O EVANGELHO DO SERVO

Mc 1:1

Introdução: Uma introdução é uma apresentação geral e panorâmica de um livro que visa capacitar o leitor a uma melhor leitura.


I. A AUTORIA

João Marcos – João [nome hebraico] e Marcos [nome romano]. Filho de Maria, um
a cristã que hospedava cristãos em sua casa [At 12:12]. Assim ele procedia de uma família rica.

Considerando ele a sua situação, resolveu ir à casa de Maria, mãe de João, cognominado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e oravam. [At 12;12]

1. Marcos e Barnabé

Marcos era primo de Barnabé [Cl 4:10]. Participou da 1ª. viagem missionária com Paulo e Barnabé [At 12:25]. Ele era um auxiliar [At 13:5]. Ele desistiu da viagem [At 13:13]. Por isso foi rejeitado na 2ª. viagem por Paulo levando Paulo e Barnabé se separarem [At 13:37-40].

Saúda-vos Aristarco, prisioneiro comigo, e Marcos, primo de Barnabé [Cl 4:10]

2. Marcos e Paulo

Marcos se redimiu do seu erro, tornando-se cooperador de Paulo [Fm 24], ficando preso com ele [Cl 4:10] e foi chamado por Paulo para assisti-lo no final de sua vida [II Tm 4:11]. Paulo mudou seu conceito sobre Marcos porque ele mudou e amadureceu.

Marcos, Aristarco, Demas e Lucas, meus cooperadores. [Fm 24]

Somente Lucas está comigo. Toma contigo Marcos e traze-o, pois me é útil para o ministério. [II Tm 4:11]

3. Marcos e Pedro

É considerado filho na fé de Pedro [I Pe 5:13]. Tendo um estrito relacionamento com ele, Pedro chama-o de “meu filho”, possivelmente o seu pai na fé. Marcos não foi discípulo [apóstolo] de Cristo, mas de Pedro. Reconhecido com intérprete de Pedro. Escreveu tudo o que Pedro relembrou. Marcos é o autor real, sendo Pedro sua fonte principal.

Aquela que se encontra em Babilônia, também eleita, vos saúda, como igualmente meu filho Marcos [I Pe 5:13]

a. Os pais da igreja atestam este relacionamento [Papias, Justino, Clemente de Alexandria, Orígenes, Irineu e Eusébio]
b. O estilo do evangelho de Marcos é um espelho perfeito do temperamento e características de Pedro, dinâmico, vibrante e ativo.

Marcos, portanto não é um grande líder, mas um seguidor. Não era um construtor, mas um ajudador. Não era perfeito, mas um homem que luta contra seus defeitos e fraquezas e as vence. Não era um homem de muita contemplação ou reflexão, mas um homem de ação que se deleitava em revelar Jesus agindo.

Aplicação:

1. Estamos sujeitos a cometer erros, desapontando e decepcionando amadas pessoas. Somos frágeis, somos pecadores, mas pela graça somos redimíveis, somos capazes de mudar conceitos que as pessoas têm sobre nós, restaurando-nos plenamente.
2. Temos que ser rigorosos quando as pessoas erram, trazendo algum tipo de prejuízo a obra de Deus, mas temos que sensíveis e misericordiosos com elas, quando mudam, reconhecendo seus erros e dando-lhe uma nova oportunidade.
3. Somos chamados a sermos servos na obra de Deus, útil em suas mãos, para isto não precisamos ser grandes líderes, dotados de grande personalidade, cheios de dons, temos que usar o que temos e o que somos. Nem todos são ou serão pessoas de destaque, mas todos que amam ao Senhor devem ser instrumentos em suas mãos.

II. DATA, LOCAL DE ORIGEM E DE DESTINO

1. Data:55-70 d.C.

Não existe um consenso unânime acerca da data, coloca-se entre 55-70 d.C, antes da destruição de Jerusalém.

2. Local de Origem: Roma

Roma é onde Marcos estava quando escreveu.

3. Local de Destino: Roma

A. Como era Roma?

a. Roma era maior cidade do mundo, com cerca de 1 milhão de habitantes.
b. Nero seu imperador.
c. Era uma cidade rica. Construções monumentais eram erguidas, luxo e ostentação conviviam ao lado da miséria e pobreza. Na cidade prevalecia corrupção, anarquia e decadência moral. Bebedeira, orgia faziam parte da vida romana [Rm 13:11-14].
d. Havia a presença de muitos escravos, mão de obra bastante usada.
e. Os cristãos foram duramente perseguidos, queimados, lançados em arenas e pisoteados por touros.

B. Por que Roma?

Havia certa urgência, pois Pedro estava envelhecendo e seu testemunho deveria ser guardado, daí o evangelho ser dinâmico e conciso.

a. Marcos enfatiza mais atividades do que ensino de Jesus, pois os romanos a quem ele direciona, tem mais interesse em ação do que em palavras, daí porque Marcos enfatiza os milagres de Cristo [18 milagres e 4 parábolas]. Já os gregos se inclinam mais a filosofia.
b. Para dar dinamismo ao texto a palavra freqüentemente usada é imediatamente ou logo. Jesus está movimentando-se de um lado para o outro.
c. Jesus é apresentado como servo. Um servo não tem genealogia, um servo age [Mc 10:45]. Enquanto que Mt eLc inicia com genealogia de Jesus.
d. Marcos se detém em explicar costumes e termos judaicos aos seus leitores. Ele explica Talita cume- Menina eu te mando, levanta-te. [7:3-4, 7:11; 14:12] como bonerges, corbã, Efatá e Abba.
e. Marcos usou palavras latinas [5:9, 12:15,42, 15:16,39] e usou a contagem de tempo romano.
f. Marcos citou muito pouco o AT.

III. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO EVANGELHO DE MARCOS

O evangelho de Marcos possui algumas características que o torna peculiar:

1. É sinótico [ver conjuntamente]

Evangelho é um relato da vida e obra de Jesus. Existem quatro evangelhos. Cada um escrito de forma diferente para um público diferente visando um determinado propósito. Marcos, Mateus e Lucas tratam dos mesmos aspectos da vida e do ministério de Jesus, por isso são chamados sinóticos. Sendo que João é o mais diferente de todos.

Por que 4 evangelhos? Porque cada um foi escrito para públicos diferentes visando propósitos diferentes.


2. É o mais antigo

É o primeiro relato da vida de Jesus, servindo de fonte para outros evangelistas.
Marcos possui 661 versículos, Mateus reproduz 606, sendo que do 55 versos não reproduzidos, Lucas reproduz 31, ficando somente 24 ausentes em Mt e Lc. Tanto Mt e Lc usaram Mc como fonte de pesquisa para a composição dos seus evangelhos.

3. É conciso

É o mais curto de todos. Lc tem 1147 versículos, Mt tem 1068, Mc tem 661. É breve porque Marcos não se deteve em registrar as palavras [sermões e parábolas], mas a atividade de Jesus. Por isso é conhecido como o Evangelho da Ação, focando nas atividades de Jesus, principalmente seus milagres.

4. É dinâmico

O estilo de Marcos é ativo, claro e direto. Sendo o intérprete de Pedro, que é conhecido por sua personalidade altamente emocional e vibrante. Assemelha-se a um álbum de retrato.

IV. CARACTERÍSTICAS ESPECÍFICAS DO EVANGELHO DE MARCOS

1. Marcos enfatiza a popularidade do ministério de Jesus.

Multidões o seguem e se reúnem ao seu redor [1:33, 45, 2:2,13,15]

2. Marcos enfatiza a identidade de Jesus

“Tu és meu Filho amado” [1:11,9:7] “Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem” [4:41]. “Não é este o carpinteiro, filho de Maria” [6:3]. “É Elias que voltou” [6:15], disse Herodes. “Tu és o santo de Deus” ou “Filho de Deus” [1:24, 3:11, 5:7] É o testemunho dos demônios. Já seus parentes “Está fora de si” [3:21]. Os rabinos dizem “Está possesso” [3:22,30]. Pedro confessa: “Tu és o Cristo” Bartimeu afirma “Filho de Davi” [10:47]. O comandante afirma aos pés da cruz “Verdadeiramente este homem era o filho de Deus” [15:39]

3. Marcos é o evangelho da ação

Jesus é apresentado como servo que está em atividade. Ele é descrito sempre ocupado, se deslocando de um lugar para outro, curando, libertando, pregando e ensinando. As obras têm mais ênfase do que suas palavras. Marcos só tem uma parábola que não é encontrada em nenhum outro evangelho. O movimento é mais fascinante que o discurso [imediatamente, logo, então aparecem 40 vezes no texto].

Jesus é um rei ativo, enérgico, que se move como um conquistador vitorioso sobre todas as forças da natureza, da doença, dos demônios e da morte. A ênfase esta no poder, aspecto muito apreciado pelos romanos.

O Reino de Jesus é mais amplo, seu exército mais eficaz, seu domínio mais permanente. Além do mais, suas vitórias são muito mais honrosas, porque ele permite que o conquistado compartilhe da glória da conquista. Ele é o vitorioso que não se delícia com o sofrimento dos conquistados, ele sofre no lugar deles, para libertá-los.

4. Marcos apresenta Jesus como Filho de Deus

Jesus revela-se como Filho de Deus, ele demonstra poder para perdoar, curar, libertar e deter forças malignas.

5. Marcos apresenta Jesus como servo

O Filho de Deus veio para servir. O perfeito Filho de Deus veio para ser servo. Ele veio para aliviar as aflições, curar enfermos, levantar caídos e morrer na cruz pelos nossos pecados. Como servo foi acusado, perseguido, ferido, cuspido e pregado numa cruz.

6. Marcos apresenta Jesus como aquele tem poder de operar milagres

Marcos enfatiza mais os milagres de Cristo do que seus sermões. Em cada capítulo há um registro de pelo menos um milagre.

7. Marcos enfatiza o sofrimento de Cristo

Nenhum outro evangelho dá mais ênfase à paixão de Cristo quanto Marcos: Ele é acusado de blasfêmia, sua morte é decidida o capítulo 3. Depois outros grupos o condena: parentes, religiosos, povo, gentios, conterrâneos, o rei. O anúncio da morte de Cristo ocupa o centro, mais ou menos um terço do livro é dedicado a paixão.

V. A MENSAGEM CENTRAL DO EVANGELHO DE MARCOS

Princípio do evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus

É o título do livro quanto a síntese da mensagem. É a mensagem central.

1. Princípio

Há 3 princípios mencionados na Bíblia: (1) No princípio era o verbo [Jo 1:1], antes do tempo, na eternidade, sem data. (2) No princípio criou Deus os céus e a terra [Gn 1:1]. Esse é o passo da eternidade para o tempo. (3) Princípio do evangelho de Jesus [Mc 1:1]. Esse princípio começa quando o verbo se fez carne.

2. Evangelho

Jesus é o evangelho, sua pessoa e obra. O evangelho não é o que devemos fazer, é o que Deus fez por nós em Cristo. O evangelho é proclamação. O conteúdo do evangelho é a vida, a obra, a morte, ressurreição, o governo e segunda vinda.

3. Jesus Cristo, Filho de Deus

Destaca-se o título pleno do Senhor, que abarca sua humanidade [Jesus], que é ungido [Cristo], sendo plenamente divino [Filho de Deus].

Sendo homem ele come, bebe, tem fome, toca nas pessoas, é tocado, fica angustiado e indignado, dorme por causa da fadiga, ele tem mãe e irmãos, tem conhecimento limitado, tem corpo e espírito humano, ele morre.

Sendo Deus, ele reina soberano sobre doenças, expulsa demônios, cura cegos, surdos, leprosos e ressuscita mortos. Acalma os ventos e as tempestades, caminha sobre as águas, multiplica os pães. Tem conhecimento do futuro, ele conhece o coração humano e perdoa pecados, vence a morte ao ressuscitar dos mortos gloriosamente.

Ele é divino-humano. Ambas as naturezas estão em perfeita harmonia. Filho do Homem e Filho de Deus! Nós precisamos desesperadamente dele somos fracos e pecadores, precisamos de um redentor que seja capaz de nos salvar, libertando-nos do pecado e da condenação vindoura. Essa salvação esta naquele que é Deus e homem!

Conclusão

1. Leia todo o livro – leia com a família, leia de uma sentada, ouça em mp3.
2. Ore pelas pregações – Pelo pregador, pelas exposições, pela pessoas que ouvirão, pelas futuras conversões.
3. Ore pela igreja, para que Deus use as mensagens para a nossa edificação. Meu desejo é que a mensagem de Marcos leve a igreja uma melhor compreensão de Jesus como servo que nos estimule ao serviço em prol dos outros, um serviço em amor, que usa tempo, esforço e a vida de uma forma ativa e plena em prol do reino de Deus. Que ao conhecermos Jesus usando seu poder possamos aprender a confiar nele, que tenhamos confiança plena que nosso Deus é capaz de operar maravilhas e fazer o impossível acontecer em nossas vidas. Que ao conhecermos Jesus como homem, tenhamos nele nosso perfeito modelo de humanidade, uma vez que o nosso pai Adão, falhou, Ele, Cristo, nos legou o que tanto precisamos para vivermos plenamente como homem.

Pr. Luiz Correia
[Deus meus et omnia]

Nenhum comentário: